Volta na Ilha – San Andrés

Sabe aqueles passeios de prioridade número 1? É esse!

Primeiro porque gosto de conhecer onde estou e me situar onde fica cada local, como restaurantes, mercados, pontos turísticos, etc. Segundo para elencar meus locais preferidos e, caso tenha tempo hábil, voltar para curtir mais um pouquinho.

Como já disse em outro post a ilha tem apenas 26 km de extensão, então para conhecê-la de uma forma mais genérica é bem tranquilo.

Para isso você deverá alugar algum meio de locomoção, que pode ser a scooter, o carrinho de golf ou a tão queridinha mule. É válido lembrar que para é necessário ter habilitação.

A recomendação para esse passeio é reservar um dia inteiro para poder parar onde quiser sem precisar cronometrar o tempo.

Scooter

Essa é a forma mais econômica (custa em média 60.000 pesos colombianos) e aventureira de se percorrer o trajeto todo.

Um dos principais pontos negativos é o sol e o calor de San Andrés. Por mais que haja vento, caso escolha essa opção, prepare-se para se bronzear bastante. Não se esqueça de abusar do protetor solar e usar acessórios com proteção UVA e UVB.

Como comentei no tópico “Como se Locomover” que não há a obrigatoriedade do uso de capacetes na ilha. Muitas vezes eles sequer são ofertados quando se aluga a scooter. Por isso pense bastante, pois apesar do trânsito ser tranquilo (com exceção do centro que é totalmente caótico) nos arredores de San Andrés qualquer cuidado é pouco para não se estragar a viagem.

Carrinho de Golf

O custo é um pouco menor do que a mule (cerca de 80.000 pesos colombianos) e comporta até 4 pessoas.

A diferença é que além de terem modelos mais antigos (fala sério gente, as mules são lindas!), os dois passageiros de trás vão de costas e a velocidade é bem menor. Não arrisquei alugá-lo, pois li em vários sites que o carrinho anda tão devagar que torna o passeio até entediante.

Pudemos confirmar isso depois de perder as contas de quantos carrinhos ultrapassamos nos dois passeios que fizemos de mule.

Buggy

Tem um custo intermediário entre o carrinho de golfe e a mule (em média 100.000 pesos colombianos).

A vantagem é que atinge velocidades maiores. A desvantagem, para mim, é a questão do conforto. Como tenho um problema chato na coluna (e não queria correr o risco de travar logo no começo da viagem) não arrisquei alugar o buggy, principalmente pela posição dos bancos. Também é mais difícil de entrar e de sair, mas para os que curtem um modelo mais esportivo e não têm problemas como eu, eu super recomendo!

Mule

A pronúncia correta é “mula” e esse é o jeito mais confortável de fazer o passeio, pois esse veículo é o que mais se aproxima de um carro.

Custa em média 140.000 pesos colombianos para 2 pessoas. Há modelos maiores que comportam até 6 pessoas e o aluguel fica acima dos 200.000 pesos colombianos.

Para alugar é necessário ter habilitação. São dadas algumas instruções básicas (é realmente muito fácil de conduzir) e você já sai dirigindo para o seu passeio.

mule-1

Escolhido o meio de locomoção vamos explorar a ilha!

Não existe lado melhor para começar o passeio, mas iniciamos a volta pelo sentido horário e próximo ao aeroporto nos deparamos com essa vista paradisíaca!

Volta 1
Volta 2

Além dos pontos tradicionais desse passeio, como West ViewLa PiscinitaRocky Cay e etc, decidimos que qualquer lugar que achássemos interessante, iríamos parar.

Não sabemos o nome da nossa primeira parada, mas não é difícil de encontrar. Tem uma barraquinha bem estilo jamaicano e de lá se tem acesso a uma imensa e deliciosa piscina natural. Não há escadas, para descer e subir deve-se usar as mãos e pés escalando os corais. Tome cuidado para não se machucar!

A corda que aparece nessa piscina marca o limite seguro os banhistas. Lembre-se de comprar um kit (máscara + snorkel) antes desse passeio, pois será muito útil e sai mais barato do que alugar em cada ponto turístico – você irá usar em quase todos.

Volta 3

Nossa próxima parada foi em West View. Gostei tanto que decidi visitar o local outra vez.

Ficamos lá quase 3 horas e aproveitamos bastante. O valor da entrada é de 4.000 pesos colombianos com direito à pedaços de pão para alimentar os peixes, que por sinal, são bem amistosos e quase chegam a bater na máscara. Comeram na minha mão e parece até que vinham pedir mais depois. É possível ver algumas espécies bem interessantes.

Como o lugar fica no nível acima do mar, há algumas formas de se chegar nele. Para quem gosta de aventuras e altura o trampolim é diversão garantida. Pros mais medrosos, como eu, o tobogã dá bem para o gasto! Já para os que preferem uma descida mais tradicional há duas escadas que dão acesso àquela imensidão azul.

Se você não souber nadar ou não conseguir flutuar por muito tempo para fazer o snorkel, não se preocupe. O quiosque disponibiliza coletes para locação (5.000 pesos).

Também possuem um quiosque com comidas e bebidas, mesas e cadeiras à sombra e espreguiçadeiras de madeiras.

West View 1
DCIM105GOPRO
DCIM105GOPRO
DCIM105GOPRO
DCIM105GOPRO
DCIM105GOPRO

Entre West View Hoyo Soplador nos deparamos com um lugar tão lindo que não resistimos e paramos para algumas fotos.

Volta 1
Volta 2
Volta 3

De lá seguimos para o famoso Hoyo Soplador, em português buraco soprador.

Trata-se de uma fenda no meio das pedras, que por conta da força das ondas do mar que quebram embaixo desse buraco acabam soprando um vento pra cima. Para verificar a força desse vento basta ficar próximo do buraco e esperar por uma onda bem forte – com as mais fracas o sopro é tímido. Mas prepare-se para ficar molhado e não se esqueça de segurar os óculos e chapéus.

O estacionamento é gratuito, mas em meio a várias barraquinhas que vendem artesanato, drinques e petiscos. Foi lá que provei o coco loco (20.000 pesos), um drinque local que mistura 3 bebidas alcoólicas – não tive coragem de perguntar quais eram 😀

Como lá geralmente é bem cheio – e os turistas não respeitam ordem nem fila para tirar foto – não consegui um bom clique.

Hoyo soplador
Foto extraída da internet.

No segundo passeio tivemos a indicação de um restaurante chamado Punta Sur, localizado bem ao sul da ilha, logo após o Hoyo Soplador.

O lugar é realmente lindo, tem uma vista de tirar o fôlego e de quebra ainda tem uma piscina com vista para o mar. O problema foi que pedimos para sermos atendidos diversas vezes e as duas garçonetes do restaurante – que não estavam dando conta do recado – não conseguiram sequer finalizar nosso pedido. Apenas bebemos algo e partimos para a próxima parada.

Punta sur 1
Punta sur 2

Depois paramos em La Piscinita. A proposta é parecida com a de West View, porém em um lugar menor e com menos estrutura. A vantagem é ser mais vazio e ter uma maior variedade de peixes.

O valor da entrada é de 4.000 pesos e também dá direito aos pedaços de pão para alimentar os peixes.

Mesmo com o atendimento lento e ineficaz resolvemos pedir empanadas, mas desistimos porque fomos informados que levaria 35 minutos pra ficarem prontas. Só tomamos uma água de coco natural (não bebem gelada lá) que custou 5.000 pesos.

La Piscinita que me desculpe, mas apesar de ser linda, West View cativou mais meu coração! ♥

La Piscinita
DCIM105GOPRO

Seguindo o fluxo passamos pela Playa de San Luís. Ela é linda, como todas as praias da ilha, mas o mar é um pouco mais agitado, tendo mais ondas principalmente na beira da praia.

Há vários restaurantes bem avaliados nessa região, como o Star Kitchen, Donde Francesca e o El Paraíso. São simples, mas de bom custo benefício e de comida gostosa.

Como fizemos o passeio dois dias, em um deles paramos no restaurante El Paraíso para almoçar. Conto sobre o pedido e valores no tópico “Onde Comer“.

El Paraíso 1
El Paraíso 4

Agora anote uma parada OBRIGATÓRIA: a praia de Coco Plum! Fica logo após a praia de San LuísA região é mais conhecida por Rocky Cay devido à fama dessa ilhota. Amei tanto que voltei nela 3 vezes em 8 dias e se tornou uma dos meus lugares preferidos em San Andrés! 😀 ♥

Sabe aquele ponto paradisíaco de mar calmo com água morna e cristalina? É esse mesmo! Uma excelente pedida para passar o dia todo curtindo a paisagem sem se estressar com lugares superlotados.

É através dessa praia que se chega à ilhota que comentei ali em cima, de onde se vê um navio naufragado. Esse lugar em particular não tem muita coisa de interessante, contando apenas com uma barraquinha fechada – acredito que tenha sido um ponto de venda de bebida.

O percurso de um local para o outro pode ser feito à pé, com a água batendo no máximo até o ombro, mas se você não souber nadar recomendo utilizar um colete, pois o nível do mar pode variar de acordo com o horário.

Ah! Um detalhe muito importante: não esqueça as sapatilhas de neoprene para evitar acidentes cortando os pés!

Recomendo o restaurante Aqua Beach Club para passar o dia. Comida excelente, com bom atendimento, espreguiçadeiras confortáveis e tendas. Além disso, tem a melhor piña colada da ilha! Conto tudinho aqui!

E tem mais um detalhe: foi lá que fizemos grandes amigos que nos rendeu o melhor passeio da viagem!

DCIM105GOPRO
DCIM105GOPRO
DCIM105GOPRO

Algumas pessoas nos falaram sobre o day use no Decameron Club de Playa. Paga-se 45.000 pesos colombianos por pessoa, com direito à bebidas (alcoólicas também), almoço à vontade (buffet) e um lanche da tarde (cachorro quente e hambúrguer).

A qualidade, tanto da comida quanto da bebida, e o atendimento deixaram bastante a desejar. Outra desvantagem é a incerteza do day use. Como ele é uma exclusividade dos hóspedes dessa rede de hotéis, caso haja grupos grandes indo para lá não é liberada a entrada de outras pessoas.

Mas para relaxar o lugar é quase que indiscutível, competindo apenas com seu vizinho, o Aqua Beach Club! Tem tendas com espreguiçadeiras de frente para um cenário paradisíaco.

Rocky Cay 1
DCIM105GOPRO
DCIM105GOPRO

Antes de devolver a mule ainda fizemos algumas paradas, mas a empolgação com aquele paraíso era tão grande que não me lembrei de verificar os nomes. Pela praia acredito que ainda seja em San Luís, que é uma região grande da ilha.

De qualquer forma e independente do nome, se um ponto te chamar a atenção pare e curta o momento, porque depois dá uma saudadeee! ♥

Volta 4

LEMBRETE: não se esqueça de abastecer a mule. Custa em torno de 7.000 pesos.

  1. Adorei!! E o meio de transporte de vocês realmente parece o mais legal dentre as opções. Curti todas as dicas e estou aqui babando nas fotos.

  2. Fizemos esse passeio em Isla Mujeres e gostamos bastante. Acho que é uma forma de conhecer as belezas do lugar e ter um panorama da ilha. Boa dica!

  3. Keul Fortes says:

    Que legal. Cada vez mais fico com mais vontade de conhecer. Parabéns pelas fotos e pelo texto. Amei! =)

  4. Também gosto de fazer uns passeios para “dar uma geral” e depois refazer com calma alguns lugares. Esse de scooter parece ser bem legal, ainda mais num paraíso como San Andrés!!!

    • Carol says:

      Sempre bom reconhecer o território né? Kkk scooter deve ser bem legal, só não arriscamos por conta da minha coluna de velha kkk

Gostou da matéria? Deixe aqui seu comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar esses HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>